quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Expondo alguns modos [Parte IV]




Eu canto, ouço, choro, me arrepio, me emociono,
Mas a minha voz cantada nem soa tão bem assim.

Eu sinto, vejo, penso, deduzo, interpreto,
Mas nem enxergo tão bem assim.

Eu piso, ando, chuto, tropeço, pulo,
Mas nem gosto de futebol assim.

Eu corro, pergunto, tenho pressa, quero saber,
Mas nada me interessa tanto assim.

Eu anoto, escrevo, telegrafo, assinalo, pontuo,
Mas nem domino minha agenda e compromissos tanto assim.

Eu planejo, projeto, faço pesquisas, comparo preços,
Mas nem executo tudo o que desejo tanto assim.

Eu somo, agrego, afiro, troco, empresto, confiro,
Mas nem uso tudo aquilo que compro tanto assim.

Eu amo, curto, convido, recebo, faço festa, sorrio, sou cortês,
Mas nem gosto de visitas tanto assim.

Eu disfarço, aparento, finjo, simulo, abafo, enlouqueço,
Mas continuo sendo o mesmo, sempre...

 

Reveja "Expondo alguns modos" partes I, II e III aqui


 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Isso é que é fazer a diferença



Realmente gentileza é um vocábulo que não tem registro no dicionário de muitos. Leia a história abaixo, o cara foi salvo por ser gentil com os outros. Que lição! Não sei quem foi, nem se é verdadeira, mas eu acho que quem escreveu tem razão.
Essa é uma história ocorrida com um empregado num frigorífico da Noruega.
Certo dia ao término do trabalho, um empregado foi inspecionar a câmara frigorífica. Inexplicavelmente, a porta se fechou e ele ficou preso dentro da câmara. Bateu na porta com força, gritou por socorro mas ninguém o ouviu, todos já haviam saído para suas casas e era impossível que alguém pudesse escutá-lo. Já estava quase cinco horas preso, debilitado com a temperatura insuportável. De repente a porta se abriu e o vigia entrou na câmara e o resgatou com vida.
Depois de salvar a vida do homem, perguntaram ao vigia por que ele foi abrir a porta da câmara se isto não fazia parte da sua rotina de trabalho. Ele explicou: _Trabalho nesta empresa há 35 anos, centenas de empregados entram e saem aqui todos os dias e  ele é o único que me cumprimenta ao chegar pela manhã e se despede de mim ao sair. Hoje pela manhã disse "Bom dia" quando chegou. Entretanto não se despediu de mim na hora da saída. Imaginei que poderia ter lhe acontecido algo. Por isto o procurei.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Metade de mim é amor


Recadinhos deixados no desktop: 

Ele...

Meu bem,
Pode parecer piegas, e é, mas você é o sol que acende meus dias e a flor que perfuma a minha estrada.
Eu sei, amar nos torna ridículos, porém felizes. E eu nem ligo pra isso... Te amo! 

Ela...

Tão lindo ler isso depois de um dia chato. Por isso q falei de vc não estar pronto. Queria mesmo era chegar, tomar banho e dormir abraçadinha. Acredite! Reclamo mas não largo nunca. rs

 (Fragmentos de nosso cotidiano)

domingo, 9 de setembro de 2012

Encantado




Meus Encantos é o novo disco da cantora, compositora e instrumentista Paula Fernandes que, apesar de longos anos de estrada, somente há pouquíssimo tempo se tornou conhecida do grande público. Como já disse noutro post, é impossível ficar alheio às suas criações inspiradas no amor e no cheiro de mato, tão ricamente explorados nas modas de viola que ela ouvia no rádio, enquanto criança, às margens da Serra do Cipó. Fala-se muito sobre algumas posturas adotadas pela cantora e que tem desagradado a muita gente. Sinceramente não saberia falar sobre nada disso, pois me basta conhecer, não a pessoa da Paula Fernandes, mas apenas a talentosa artista que me encanta, emociona e arrepia toda vez que ouço o seu cantar de rouxinol, suas belíssimas canções. Neste álbum de 15 canções, há algumas que foram escritas há mais de 10 anos. Segundo a própria Paula Fernandes, que assina todas as faixas do disco, a música não envelhece. Eu gostei demais do disco e dou destaque mais que especial para Harmonia do amor, em que dividiu a composição e os vocais com o grande Zé Ramalho; Além da vida, em que descreve lindamente um amor vivido por almas afins e que perpassa as linhas do tempo; Cuidar mais de mim, em que pontua as delícias e agruras de um mesmo amor e que, por fim, decide por um novo. Preciso parar por aqui senão darei destaque merecido a todas as canções do disco e aí já viu, né? rsrs...



domingo, 26 de agosto de 2012

Pra sempre



...Tive histórias tristes que só eu bem sei
Mas que o tempo fez transformar
Em vitórias, brilhos
Que me levam a crer
Nesse forte ímpeto de amar
Amar você
Pra sempre...

(Marina Lima / Samuel Rosa)

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O que sinto agora





Já se passou tanto tempo, dias e horas desde aquela noite em que eu te vi de relance, que eu te beijei a boca pela primeira vez, que eu decidi que seria seu todos os dias dalí por diante. Já fiz tantos planos diferentes e já os refiz após o amanhecer que já nem sou mais quem eu era, já nem sei mais quem sou agora, nessa minha vida errante que se esgueira entre o sim e o não, as idas, vindas e voltas. Entre tanto tudo e nada, dúvidas, despreparos, evoluções, escuros e partilhas, o raio do amor tocou a minha alma, adoçou a minha boca e acalmou meu coração em socorro. A minha vida só é o que for para te ter bem, te ver feliz, para estar ao seu lado, em seus cachos castanhos e macios. Eu sempre me lembro de tudo o que lembra você. Uma folha ao vento, uma canção, um livro, uma comida, algo vivido. Você sempre está lá. O frio da noite costuma atravessar a alma, assoviar aos ouvidos, mas eu não sinto medo pois o que temos é para sempre ser e vigorará. Eu sinto que quanto menos esperarmos, a estrada nos mostrará o caminho certo que tanto queremos, mas é preciso viver cada etapa, dentre todas as curvas tortas. É preciso ter calma e paciência com o pó da estrada, a lama, a tormenta, os cascalhos que agridem os pés. O melhor está por vir, eu posso sentir. Tem um cheiro bom e suave.



terça-feira, 5 de junho de 2012

Uma Rodada com Sandes


A perguntinha da semana é sobre o hábito masculino dificílimo de abandonar que é o da viradinha, disfarçada, de pescoço. E a leitora ainda detona, reclamando das nossas desculpas esfarrapadas. Muito bem, vamos lá! Confiram, então, o que este colunista tem a dizer sobre isso:


Leitora pergunta:
 

Sandes, Por que vocês ficam encarando qualquer mulher gostosa que passe, mesmo quando estamos ao seu lado? E por que sempre fazem de conta que somos loucas e que estamos exagerando quando reclamamos disso?
 
 
Sandes responde aqui




segunda-feira, 28 de maio de 2012

Uma Rodada com Sandes

 
 
Sexo é bom, mas com segurança é maravilhoso! Apesar de o Ministério da Saúde, através de campanhas na mídia televisiva, falar tanto sobre o assunto, sempre acaba aparecendo alguém desavisado. Vejam só o relato da leitora sobre o que pensa/propõe seu namorado.

Leitora pergunta:

Sandes, meu namorado insiste para transarmos sem camisinha, alegando que me ama e que a camisinha diminui o prazer dele. Acontece que eu não me sinto segura, apesar de namorarmos a algum tempo. Ele disse ainda que eu não confio nele e que eu não o amo de verdade. Estou tão confusa, Sandes, o que você acha disso?

Sandes responde aqui

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Sobre o amor




“O amor verdadeiro é expresso e não dito. Um silêncio amoroso tem mais poder que palavras bem intencionadas”


segunda-feira, 21 de maio de 2012

Uma Rodada com Sandes

Hello turma, a Rodada de hoje é sobre o comportamento masculino e a leitora quer saber o porquê de nós homens fugirmos da tal “DR”. A resposta é bem simples. Confira!


Leitora pergunta:


Sandes, por que vocês são tão fechados e têm tanto medo de discutir a relação?


Sandes responde aqui


sábado, 19 de maio de 2012

A ferida viva





O outono é o prenúncio de inverno
Ele é amigo da noite que nos escurece mais cedo
E traz em sua bagagem o frio ressequido.

Quem quer ser outono?
Chuva que não cai,
Vento que não cessa,
Sopro que gela a nuca e arrepia a pele?

Nada me maltrata mais que esta estação
É como se eu escutasse “Santa Chuva” todos os dias.