sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Yawar Huauqui




Ontem pela manhã, enquanto caminhava em direção ao conservatório, ouvi um som bastante agradável e característico, vindo lá da Praça da Prefeitura. Eram os Índios Equatorianos que voltaram a Ilhéus, trazidos pelos ventos frescos da primavera. Eu me aproximei do local da apresentação e fui mais uma vez, contagiado por aquela sonoridade ímpar e por aquele ritmo suave e envolvente que acalma o coração. Como eu teria aula naquele instante não pude ficar mais, então fui para a aula e, à tarde, voltei à praça. Eu cheguei cedo e a apresentação só começaria dali a uma hora, então sentei-me num banco que ficava de frente para eles, de modo a assistir o show de uma posição privilegiada. Enquanto os minutos escorriam, pude observar como deve ser difícil e mágica aquela vida de artista de rua. Ver aquelas mulheres amamentando seus filhos sem o mínimo de privacidade e ver aquelas crianças crescendo ante os olhos do público foi para mim, no mínimo espantoso. Mas, o que fazer se show não pode parar? Algum tempo depois eles começaram a prender às roupas que vestiam, adornos feitos de penas belíssimas e estranhas a nossa fauna e também, penduricalhos e chocalhos que, à medida que se movimentavam, produziam sons que completavam o arranjo final das canções. Eu fiquei fascinado por aquela cultura indígena tão diferente da nossa que quase não veste roupa. Bem, estranhezas à parte, o show foi excelente e compensou a espera. Eu até comprei um disco deles e trouxe comigo um pedaço de toda aquela sonoridade e misticismo presentes naquele povo. Para ser sincero, acho que eu voltei à tarde não só pelo som indiscutivelmente fantástico, mas talvez para relembrar a emoção que senti ao assistir ao filme “Dança com lobos”, ou quem sabe até, para alimentar o lado John Dunbar que existe dentro de mim.











"Presencia natural con la cual se inspira, transforma, admira y se llenan de energía los pueblos Shuara de Ecuador. Porque siempre seremos fuente de energía en todas nuestras noches donde nacen las canciones."

Yawar Huauqui


5 comentários:

  1. Como apaixonado por música também aproveitaria uns minutos do meu tempo vendo essa apresentação. Esses artistas representam um pouco da nossa cultura, afinal, nós brasileiros, também descendemos de índios.

    ResponderExcluir
  2. É realmente fascinante o som e a performance deles. Ultimamente estão se apresentando na Praça da Piedade, em Salvador. Sempre que posso, paro para apreciar o espetáculo. Também comprei o cd. Ouvindo aquele som e vendo aquelas pessoas reproduzindo rituais dos nossos ancestrais, pensei que na verdade precisamos de tão pouco para viver...

    ResponderExcluir
  3. Estou me sentindo contagiada com estas músicas, uma só vez que os vi em Madureira no Rio de Janeiro fiquei muito emocionada comprei logo dois cd's escuto sempre e ainda vejo o grupo e outros no youtube acho lindo. para mim é mágico quando os vejo espero que voces do grupo Yawar Huauqui posam vi outras vezes no RJ., gostaria que os indios do Brasil tambem saissem para levar sua cultura para outros povos.Amo voces. 19/7/2011

    ResponderExcluir
  4. Hoje eles estiveram em Marília, Estado de São paulo, foi muito agradável ouvi-los.adquiri o cd.Amei.Desejo muito sucesso a esses bravos.

    ResponderExcluir